Quatro vezes Yeats

T. S. Eliot disse algo famoso sobre o poeta W. B. Yeats: que a história de Yeats era a história de seu tempo, que compreender seu desenvolvimento poético era também uma forma de ler a poesia da virada do século XIX para o XX. Eliot disse isso pela primeira vez em Dublin, Irlanda, onde Yeats … Mais Quatro vezes Yeats

Sonetos de Shakespeare

  Uma rápida pesquisa da palavra “soneto” já nos leva ao nome de William Shakespeare. Isso porque o bardo reinventou a forma para sempre na língua inglesa. A notável melodia de Shakespeare, a frequência com que muitas palavras se repetem com sentido diverso, e a leitura da ambientação elizabetana são desafios nada banais para o … Mais Sonetos de Shakespeare

Perambulando com Langston Hughes

Um dos livros de Langston Hughes se debruça sobre biografias. Hoje bastante esquecido, Negros notáveis dos Estados Unidos apresenta figuras de destaque da intelectualidade estadunidense através dos séculos. Indo de Phillis Wheatley, poeta negra escravizada nos Estados Unidos, até Jackie Robinson, primeiro jogador de beisebol negro a fazer parte da Grande Liga, o livro traz … Mais Perambulando com Langston Hughes

Emily Dickinson: poeta em solidão

Com alguma frequência, ao mencionar mulheres escritoras, me perguntam sobre aquela poeta que vivia reclusa. O mito de Emily Dickinson povoa o imaginário dos amantes de poesia. Viveu a vida toda na pacata Amherst durante o século XIX. Em dado momento, mal saía de casa. Recusava o casamento, mantinha um círculo restrito de amizades, cumpria … Mais Emily Dickinson: poeta em solidão

Anne Sexton e a carta para a Linda de 40 anos

Uma dose extra de Anne Sexton para o mês de novembro. A carta abaixo foi a última que Sexton escreveu – uma despedida para sua filha mais velha, Linda Gray Sexton, que seria mais tarde editora de sua mãe além de uma prolífica memorialista. Linda Gray, em parceria com Lois Ames, compôs uma extensa reunião … Mais Anne Sexton e a carta para a Linda de 40 anos